Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007
Novo blog

Como havia uma certa dificuldade, na consulta deste blog, por parte das pessoas interessadas, resolvi criar um novo .Agora com o nome de orquídeanegra.

Para consultar basta pôr www.orquideanegra,blogs.sapo.pt.



publicado por rosafogo às 19:37
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Sábado, 3 de Novembro de 2007
Netas nossas princesas

Hoje vou dedicar-te a ti Margarida minha flor, estes versos, vais ver que vais gostar, ao  mesmo tempo dedicá-los também às netas das amigas da avó.

 

 

 

Momentos únicos

 

 

Sonhas que és uma princesa

Que habitas num castelo

Junto á praia! Tens a certeza!...

E enfeitas de flores o cabelo.

 

Como história de encantar

Princesa e também sereia

Queres tu ser e sonhar!

Que brincas e corres na areia.

 

Mas este lugar é irreal!

De nenhum mapa faz parte!

Mas com magia... que tal?!

Vem um príncipe que há-de amar-te!

 

E a princesa do castelo

Que passa a Vida a sonhar

Pensa em tudo quanto é belo!

Mas diz que não quer casar!.

 

 

 

 



publicado por rosafogo às 18:12
link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito
|

Sexta-feira, 2 de Novembro de 2007
Porquê ?

 

Porquê?.

É uma pergunta, que nós fazemos a nós próprios, quer seja àcerca do que nos magoa, ou sobre o que magoa os outros e para a qual não é fácil obter resposta, a maioria das vezes.

Eu por exemplo interrogo-me muito, sobre o porquê da  vilolência que exercem nas crianças, a fome que grande parte delas passa, o sofrimento das que sofrem os efeitos da guerra e também as outras que são maltratadas, até pelos que delas deviam cuidar com amor.  Será que não vai haver nunca solução?.

 

 

Lembrança melancólica

 

 

 

Quando o passado

é nostalgia,

e os pensamentos comoventes.

Fica-se num estado de melancolia!

 

 

E então, és como folha morta!

Já nada te importa!?

É isso o que sentes!.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 



publicado por rosafogo às 17:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007
Acontecer

Quando as coisas se fazem porque simplesmente gostamos, as coisas acontecem.É bom que o sonho faça parte da nossa vida!.

 

 

 

Travo Amargo

 

 

A minha mente é um mar imenso

Onde a Vida nem sempre faz sentido!

Sonhos sombrios e um vazio intenso

Que fazem da esperança, tempo perdido.

O peito não bate, a voz calada

Prescuto a lembrança e consigo!

Trazer à superfície da memória apagada

A saudade, à semelhança dum abrigo.

Envolvida no meu próprio destino

Iludo a realidade e o sonho

Deixo a maré da mente sem tino

E às vezes choro e não me envergonho!.

Vou vivendo até que me deixe o tempo

Contra o destino nada há a fazer

Ficam as lágrimas, surge o desalento

Meu coração é um cavalo a enlouquecer!.

E quando o azul do mar da minha mente

Me abandonar nesse imenso mar

Ficarei como concha abandonada simplesmente

E nas lágrimas o alívio irei encontrar.



publicado por rosafogo às 12:49
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007
Sem retorno

A Vida é uma ída sem volta, mas até ao final, vamos ter sempre as nossas lembranças.

Lembranças que  não acabam , umas que nos fazem ainda rir, sonhar... outras que ainda nos trazem pesadelos. São as lembranças  ao fim e ao cabo que nos fazem andar para a frente, são como uma herança, que ninguém nos pode tirar.

 

 

 

Silêncio ensurdecedor

 

 

Quando o silêncio se torna ensurdecedor

E a Vida um navio perdido!

Quando o coração, já não sente amor

Então a Vida já não faz sentido!

Restam fragmentos de sonhos

Rugas fundas, voz amarga

Restam só dias medonhos

E uma sombra estranha que não larga!

Postas as mãos esperando benção

Suplica-se em voz alta, não há resposta!

O silêncio tomou conta do coração

E surge a angústia que lhe é imposta.

Os olhos têm o brilho da loucura

E o silêncio fica martelando

O pensamento numa dor mergulha

Enquanto vai o homem caminhando.



publicado por rosafogo às 20:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Outubro de 2007
Longevidade

Quando a Vida já vai longe começa a pensar-se naquilo que se devia ter feito e não se fez.

Surge às vezes uma sensação de vazio, parece que algo ou alguém nos desviou do nosso destino.

 

 

Esquece o tempo

 

Tens o tempo, todo no teu rosto!

Maldição?! Seja ou não é certo!

Que o tempo te trouxe algum desgosto

mas os sonhos ainda te sorriem de perto.

 

Tempo, todo o tempo caído no vazio!

Como se entrasses em sonolência

Tempo que corre dia e noite, como rio

Sorriso morto?! Olhos sem existência!

 

Cerram-se as pálpebras,negas-te a ver 

as rugas silenciosas à tua volta

E é a dor, do tempo não poder deter!.

 

Resistes?!. Queres ir mais além!

Ás vezes feliz deixas um sorriso à solta

E esqueces o tempo,que não se detém!.

 



publicado por rosafogo às 15:12
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 28 de Outubro de 2007
Fio da meada

Às vezes perco o fio à meada!.Com a idade é natural... mas a poesia é como uma carícia e vem logo devolver-me o fio da meada e resgatar meus sentimentos.

 

 

 

 

 

 

Só,como botão.que floresceu tarde

Só,como vela que apagou e já não arde!

Só,como um passarinho

que ficou fraco,no ninho!.

 

 

 

Só como um coração vazio

Onde a a paz e o amor

São um poema vadio!

 

 

 

Só como uma ilha deserta

Onde o sol não entra

Onde a fome aperta

E a pobreza se experimenta!

 

 

 

Só como lágrima que cai

Salgada que nem mar

E só Deus sabe como vai!

A nossa  alma, acalmar!

 

 

 

Só como um eco dum queixume

Dum desespero sem esperança

Dum destino que se assume

Sofrido,logo à nascença!.

 

 

 

Só, como este verso chorado

P'lo poeta que por ele sente

As angústias do passado

E as frustrações do presente!.

 

 

 



publicado por rosafogo às 19:39
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007
A começar o Inverno

Ainda por detrás das nuvens, sempre aparece o Sol, embora os dias vão começando a abandonar o Outono e a dar lugar ao começo do Inverno.Com o envelhecer do dia cada vez mais cedo, no final deste,  os pensamentos também de certo modo ficam tristes. No entanto sempre se descobre alguma coisa boa, para fazermos , como por  exemplo o podermos aconchegarmo-nos mais cedo no nosso sofá a ler um bom livro.

 

 

 

Loucura

 

Foi o tempo de dormir de lã

Onde havia sonhos e loucura

Onde me abria como uma romã

E tu disfrutavas com ternura.

 

  

Foi o tempo de dormir de linho

Onde havia a festa dos sentidos

 E eu percorria o caminho

Com palavras doces nos ouvidos.

 

 

 

 

 

 

 

Chegou o tempo de ficar acordado

A colorir o tempo de lembranças

Desse dormir doce já passado

Vislumbrando réstias de esperanças!.

 

 

 

 

 

 



publicado por rosafogo às 18:41
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007
Jardim de mulheres

Jardim de Mulheres é um livro que hoje comprei e que estou a começar a ler. Coincidência,

este livro fala sobre a Serra Leoa e o que acabei de ler e que se intitulava o Canto da Sangardata falava de Cabo Verde. Ao iniciar este segundo livro tive quase a desistir, a causa é que se tornava um pouco difícil de ler porque todo ele é falado à maneira africana, mas é óptimo, descreve muito bem a  vivência do sofrimento de guerra ,do povo moçambicano e também  o sofrimento dos soldados portugueses durante esse período. Nessa altura eu era jovem e tive familiares presos pela pide, e não esqueço nunca que recebi várias mensagens, da morte de rapazes da minha aldeia quando estava empregada nos CTT em Torres Novas e estava de serviço aos telegramas.É  também um período difícil  de esquecer!

 

Guerras

 

O  Mundo está voltado para a guerra

O Homem não vê nem ouve nada!

E fica o mar e a terra

em sobressalto!

A esperança fica remendada

Só há anseios e desilusões

Passa-se da calma ao terror

Destruições!

Corações parados, sem amor!

Barril de pólvora,pronto a explodir

É assim o Mundo!.

Náufrago na mão do Homem

E um ódio profundo

fica na gente que há-de vir

e nos que partiram também.

O Mundo em desiquilíbrio está!

Segue caminhos ignorados

aonde quer que ele vá!?

Não leva heróis, mas falhados!.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por rosafogo às 20:37
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007
Dia cinzento

Hoje o dia esteve cinzento e a noite está triste sem uma única estrela a alegrar o firmammento.

E neste moer de tempo, vou mastigando a vida um pouco sem rumo.

 

 

 

Lembrança de menina

 

 

Foi ontem, era menina!

Com laços e com sorrisos

Oiço ainda aquela voz pequenina

E vejo os cabelos, pretos e lisos.

 

Era fruto a amadurecer!

Lua mentirosa no Céu!

Gaivota deixando-se envolver

Rouxinol que a cantar adormeceu.

 

Trazia já sede de poesia!

Na mente, nasciam flores!

Minhas asas livres batia

E nos sonhos tinha amores!.

 

Agora mal me conheço

Tenho aquele(ontem) vazio!

E ao recordar reconheço

Que a Vida está por um fio!.



publicado por rosafogo às 21:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds