Sábado, 8 de Setembro de 2007
Ausência

Ausente vou estar, de viagem à Turquia,vou recuperar logo que volte.

Para aproveitar as horas de vôo, vou levar para ler pela inésima vez os sonetos de Florbela

Espanca

Deixo aqui mais um poema que dedico às pessoas que vivem um grande amor.

È sempre bom falar de Amor, daquele que se deseja puro e sincero.

 

Amar-te

Amar-te, amar-te, até à morte

Eu sou feliz e digo para mim!?

Foi Deus que me deu esta sorte

De poder amar-te até ao fim!

Quisera eu amar-te mais!

Ainda que à loucura chegasse!

Porque amar-te nunca é demais!

És como enleio que em mim enleasse!

Contigo quero ver o Sol nascer e pousar

Sonhar, sonhar como uma adolescente!

Contigo recordações quero ressuscitar.

Sem ti, seria noite orfã de Lua

Seria prado estéril, sem semente!

Por isso até ao fim quero ser tua!.

 



publicado por rosafogo às 12:20
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds