Quarta-feira, 26 de Setembro de 2007
Dia a Dia

Fazer poesia , é como possuir qualquer coisa de meu,que posso repartir com quem gosta.

Dia a dia , agradeço humildemente a Deus, por conseguir através dela uma grande serenidade.

A vida que às vezes é uma ilha de desespero, torna-se num céu sem nuvens.

Hoje ao contrário do poema de ontem que já não era recente, vou publicar o ùltimo, que aqui deixo.

 

 

Estranhos

 

Tão apressada a Primavera da Vida!

É trovoada de Verão, que logo passa

Chega-se ao Outono com a alma caída

É o Inverno que chega e amordaça.

Como pedaço de vidro estilhaçado

Fica a Vida como noite escura

É uma tristeza, triste por se ter passado

a vida a correr, cheia de amargura!

Estranhos, nos sentimos... àgua de trovão!

Fortes éramos sempre tão esquecidos

Que um dia pára, não bate o coração.

 

Tão apressada a Primavera da Vida!

Custa a aceitar, ficamos deprimidos

Surge então o crepúsculo na mente esquecida.



publicado por rosafogo às 14:20
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds