Domingo, 30 de Setembro de 2007
RECORDAR

Hoje , ao lembrar os meus hábitos de leitura, recordei o seguinte.

Quando era adolescente, talvez com catorze anos adorava ler e então deslocava-me à biblioteca de Torres Novas então vila onde estudei e escolhia um romance pelo seu volume de páginas, ou seja quanto mais grosso melhor, mais leitura levava comigo para a aldeia de Lapas onde vivia.

Durante a leitura recordo que às vezes os personagens me davam medo e saía muitas vezes para a rua para aliviar um pouco a tensão.

Agora penso, como era  possível não haver ninguém na referida biblioteca que me indicasse livros próprios para essa minha idade.

Pagava-se nessa altura cinco tostões e levava-se o livro que se escolhia,li o que devia e o que não devia, mas consegui gostar de ler até hoje.

É bom recordar, como se era feliz com tão pouco...

 

Frágil Lembrança

Há sempre uma lembrança boa

E uma tristeza, que ainda se chora

Um sonho que vive em nós à toa

E o desejo de ser feliz, dentro de nós mora!

 

Há sempre uma inquietação perturbadora

Cada passo se transforma numa cruz

Quedamo-nos tristes pela vida fora

Mas no decorrer do tempo faz-se luz!

 

Há sempre uma miragem de felicidade

Onde há certezas que acabam por morrer

E nostalgias a fazer lembrar a idade!

 

Há sempre uma lembrança boa

Que é anseio a vaguear dentro do ser

Deste destino dúbio, que às vezes nos magoa!.



publicado por rosafogo às 17:24
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds