Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007
Marmelada

Hoje ao fazer  marmelada, lembrei de novo a infância, então como a minha neta estava presente , lembrei-me de lhe contar o seguinte  acontecimento que nunca esqueci porque foi um período agradável para mim e então foi assim: uns familiares mais abastados deslocaram-se à aldeia teria eu uns seis anos e levaram dois brinquedos , uma boneca sem a parte de trás da cabeça e um ferro de engomar de lata , das filhas para quem já não serviam, com o intuito de os darem à minha mãe dado eu ser pequena. Como nem nunca tinha visto uma boneca, delirei com esta e tratei de lhe fazer uma touca para que o defeito não se visse. Assim como não havia outra na aldeia, senti-me uma princesa e ainda hoje me sabe bem recordar essa felicidade.

Outros tempos, bem menos exigentes!

Foge a Vida

 

Quantas vezes domei a vontade de chorar!

Por sentir em mim uma crescente solidão

Que fim eu posso ansiar?!

Se sinto o vazio dos desertos no coração!

Cai o orvalho da velhice no meu rosto

Meu coração endureceu!

A alegria abandonou seu posto

Resta o declínio e até o sonho morreu!

 

Nada suaviza a dureza da Vida!

Tenho a alma nua, o coração frio!

Passa o tempo, passa de corrida

Foge a Vida, os sentidos, tudo é fugidio.



publicado por rosafogo às 23:08
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds