Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007
Subitamente

Há dias em que  sem qualquer esforço da minha parte, de súbito surge um poema quase a gritar por socorro.

Percorre-me o pensamento e é como alguém que vem de longe com grande necessidade que o recebam, então estendo-lhe a mão e transponho-o para o caderno de poemas, onde protesta por ficar ignorado ou fechado na gaveta.

Então hoje venho soltar, mais um!

 

 

Passos apressados

Juntam-se os cacos da Vida

Feita de passos apressados

Numa aventura sofrida

Sempre com sonhos adiados.

Chega-sa ao cimo da colina

De onde não se vai regressar

O silêncio é quem domina

E a saudade é livre de recordar.

Fecham-se os olhos já saudosos

De instantes de prazer vividos

E na solidão, há sonhos harmoniosos!

Mas já de tudo despojados!

Que nos interessam os sentidos?!.

Se são despojos quebrados?!.



publicado por rosafogo às 21:20
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds