Sábado, 13 de Outubro de 2007
Sem Tempo

Não aprendo a lição, embora a Vida me ensine. Mas  esta mania de querer ter tempo para tudo ! Depois surge o esforço e acabo  por ficar triste e desalentada .

 

Hoje só vou escrever o poema, que também ele é um pouco triste.

 

 

Grito

 

Aperta-se o peito, embarga-se a voz

Com este meu corpo, não me identifico

Meu coração corre, corre veloz

E é bem distante o lugar onde fico.

 

Trago comigo cansaço e frio

Carrego meu olhar, tão entristecido

Meu corpo é um porto, já tão vazio

Com pedaços de mágoa e amor esquecido.

 

Fico lembrando â hora do poente

As lembranças com saudade sentida

Da juventude, que tão longe se sente!.

 

Meu coração é andarilho cansado

Da solidão e Vida sofrida

Surge então o meu grito! desesperado!.

 

 

 

 

 



publicado por rosafogo às 22:47
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds