Domingo, 28 de Outubro de 2007
Fio da meada

Às vezes perco o fio à meada!.Com a idade é natural... mas a poesia é como uma carícia e vem logo devolver-me o fio da meada e resgatar meus sentimentos.

 

 

 

 

 

 

Só,como botão.que floresceu tarde

Só,como vela que apagou e já não arde!

Só,como um passarinho

que ficou fraco,no ninho!.

 

 

 

Só como um coração vazio

Onde a a paz e o amor

São um poema vadio!

 

 

 

Só como uma ilha deserta

Onde o sol não entra

Onde a fome aperta

E a pobreza se experimenta!

 

 

 

Só como lágrima que cai

Salgada que nem mar

E só Deus sabe como vai!

A nossa  alma, acalmar!

 

 

 

Só como um eco dum queixume

Dum desespero sem esperança

Dum destino que se assume

Sofrido,logo à nascença!.

 

 

 

Só, como este verso chorado

P'lo poeta que por ele sente

As angústias do passado

E as frustrações do presente!.

 

 

 



publicado por rosafogo às 19:39
link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De rosa costa a 17 de Julho de 2009 às 17:00
este poema simples mas lindissimo,faz-nos parar para pensar...é de facto muito bela a sua poesia...parabens


De rosafogo a 19 de Julho de 2009 às 23:30
Obrigado amiga Rosa

Fico feliz que goste, sendo assim, penso que só pode ser uma pessoa sensível, delicada, com bons sentimentos, porque a poesia e falo na poesia em geral, não é qualquer pessoa que a entende, que gosta de ler, tem de facto que se ter um amor especial por este género de leitura.

Um beijinho, volte sempre
natalia


De Carlos Santos a 13 de Maio de 2010 às 09:30
Realmente este poema transmite um sentimento especial.
Gostei também da imagem das rosas.
As rosas transmitem o amor e aamizade. ;)


De rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 16:05
Nunca é tarde, oumelhor mais vale tarde que nunca, meu estimado amigo obrigada pelo apreço.

abraço
rosafogo


De Fisga a 3 de Outubro de 2010 às 10:49
Olá Velha amiga. As saudades, fizeram-me voltar aqui. Foi uma pena, deixares este blog, está muito bem vestido e as roupagens, são muito belas. Mas também compreendo a tua razão. Um beijo deste amigo Eduardo.



De rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 16:04
Meu amigo já retomei, o blog agora virei mais vezes postar, perdi os amigos como é lógico, desde que fui para outras paragens, mas a vida é assim perdem-se uns ganham-se outros, sabes bem, no entanto há uma meia dúzia que não desiste de me visitar por aqui quando me sente e eu fico enternecida.

Beijo amigo Eduardo obrigada por vires matar saudades.
PS se aqui voltares vai ao Face ver as fotos da minha filha que casou ontem.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds