Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007
Sem retorno

A Vida é uma ída sem volta, mas até ao final, vamos ter sempre as nossas lembranças.

Lembranças que  não acabam , umas que nos fazem ainda rir, sonhar... outras que ainda nos trazem pesadelos. São as lembranças  ao fim e ao cabo que nos fazem andar para a frente, são como uma herança, que ninguém nos pode tirar.

 

 

 

Silêncio ensurdecedor

 

 

Quando o silêncio se torna ensurdecedor

E a Vida um navio perdido!

Quando o coração, já não sente amor

Então a Vida já não faz sentido!

Restam fragmentos de sonhos

Rugas fundas, voz amarga

Restam só dias medonhos

E uma sombra estranha que não larga!

Postas as mãos esperando benção

Suplica-se em voz alta, não há resposta!

O silêncio tomou conta do coração

E surge a angústia que lhe é imposta.

Os olhos têm o brilho da loucura

E o silêncio fica martelando

O pensamento numa dor mergulha

Enquanto vai o homem caminhando.



publicado por rosafogo às 20:11
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De rosa costa a 17 de Julho de 2009 às 16:44
estes seus poemas fazem-me arrepiar,são lindos de mais...eu nunca chegarei a escrever, com tanta sabedoria


De rosafogo a 19 de Julho de 2009 às 23:22
Minha amiga
Tenho andado de viagem, cheguei ontem e só hoje me apercebi do seu comentário, agradeço as palavras, se acha lindo, porque não ler também os últimos posts,
não é que eu também não goste destes são todos criados por mim, mas os últimos também eu gostaria que lesse, no orquideanegra.blogs.sapo.pt.
um beijinho, volte sempre, quanto ao escrever, não há como tentar, ás vezes temos jeito e não sabemos.
Tente amiga, força.
natalia


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo blog

Netas nossas princesas

Porquê ?

Acontecer

Sem retorno

Longevidade

Fio da meada

A começar o Inverno

Jardim de mulheres

Dia cinzento

arquivos

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favoritos

Homem e poeta

Palavras desalinhadas

Asas que tive

PROVOCAÇÃO CONFLITUOSA

TERÇA E QUARTA FEIRA II

NASCER EM BERÇO DE OURO

INTELECTUALIZAR

MAIS UMA MEDALHA DE OURO!

Perdidamente perdida

Poema para a Terra calada

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds